Entrar »

Pesquisa Portal ERP 2015Portal ERP apresenta números específicos e resultados sobre o mercado de ERP no Brasil em 2015.

O estudo apontou um crescimento contínuo de boa parte das empresas do setor, assim como um número cada vez maior de fornecedores atuantes, sobretudo para atender as empresas de micro e pequeno portes.

Em uma iniciativa pioneira, o Portal ERP realizou, no ano passado, a sua primeira pesquisa específica sobre o setor de ERP no Brasil. Entre os dias 28 de outubro a 09 de dezembro, o Portal entrevistou 4.649 participantes dentro do território nacional, totalizando ainda 3.157 empresas participantes.

Primeiramente, o estudo relacionou o perfil dos entrevistados, sendo que 22% deles eram gerentes de TI, o mesmo percentual de analistas, e 13% eram coordenadores ou consultores de TI, seguidos por 11% de diretores ou sócios-proprietários. Outro ponto relevante para a pesquisa foi o porte de atuação da empresa de cada participante, que resultou em: 30% atuantes no segmento de grande empresa, 25% atuantes na média empresa, 20% correspondente ao mercado das pequenas empresas e 18% microempresas. Um número de destaque também foi o de 7% de microempreendedores. 

[PARTICIPE da PESQUISA PANORAMA MERCADO DE ERP 2016, é só clicar aqui e RESPONDER]

A pesquisa, que teve aderência maior na Região do Sudeste, com 67,96%, mostrou que a TOTVS seguiu forte em sua liderança como empresa fornecedora no mercado brasileiro de ERP.

O levantamento feito por Portal ERP que incluiu vários segmentos de atuação, apontou que a companhia segue forte em setores como, por exemplo, Construção Civil com 40,85%, seguida da Mega Sistemas que atingiu 28,17%, no segmento de Distribuição e Logística, onde a TOTVS alcançou 49,29% e no setor Educacional, onde a TOTVS/RM chegou a 51,79%.

Dentre os segmentos com maior projeção em 2015, caso por exemplo do Agronegócio, a empresa teve uma participação de 53,34%, bem acima do montante que compreende todas as outras companhias mencionadas e que atingiu o percentual de 40%, com exceção da Mega, que sozinha, obteve 6,67% de participação neste mercado. 

Dentro da base utilizada das empresas que usam ERP no Brasil, a pesquisa mostrou em números gerais que a TOTVS/Protheus obteve 35,86% de marketshare, sendo que "outras" empresas aparecem com 24,08%. A TOTVS/RM aparece também com 5,11%, em seguida vem a Mega Sistemas com 4,64% e a Sankhya com 4,54%. 

[PARTICIPE da PESQUISA PANORAMA MERCADO DE ERP 2016, é só clicar aqui e RESPONDER]

O levantamento realizado pelo Portal ERP abordou ainda aspectos relacionados a investimentos futuros dentro das empresas. O estudo mostrou, por exemplo,  que juntas, a atualização de versão do ERP e a implantação de um ERP ou novos módulos do ERP foram citadas como prioridade por 51,11% nas microempresas, 57,19% nas pequenas, 59,10% nas médias e 54,7% nas grandes empresas. O resultado importante mostra a crescente preocupação com a necessidade de se ter uma gestão cada vez mais eficiente, mesmo nas micro e pequenas empresas.

[PARTICIPE da PESQUISA PANORAMA MERCADO DE ERP 2016, é só clicar aqui e RESPONDER]

Assim como a tradicional pesquisa do Centro de Tecnologia de Informação Aplicada, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que está atualmente em sua 27ª edição, e que faz parte do Fórum de Informações permanente sobre a Administração e Uso de Recursos de TI, o Portal ERP também mostrou que em comparação com o ano de 2014, não houveram alterações representativas no mercado de sistemas de gestão (ERP) brasileiro em 2015, com as empresas ocupando o mesmo lugar no ranking.

Um dado bastante relevante ao segmento no ano de 2015 foram aquisições e as reorganizações de muitas companhias. Assim como ocorreu em 2014, o lançamento de novos produtos ou upgrade do portfólio já existente para integração com novas tecnologias, também contribuíram para que os resultados financeiros de muitos fabricantes crescessem na ordem das casas decimais. 

[PARTICIPE da PESQUISA PANORAMA MERCADO DE ERP 2016, é só clicar aqui e RESPONDER]

Ainda de acordo com muitas empresas do setor, graças à estratégias voltadas a um melhor atendimento, finalização de novas unidades de negócio e parcerias em determinadas regiões, como Sul, Centro Oeste e Nordeste, desenvolvimento de novas tecnologias alinhadas com demandas atuais e o crescimento orgânico de alguns setores, na contramão da crise,  como Serviços,  Atacado varejista e Agronegócios, as previsões de crescimento foram, em alguns casos, ligeiramente corrigidas, mas em sua maioria, mantidas para 2016.

A pesquisa do Portal ERP será novamente realizada este ano e vai compreender, assim como no ano passado, os meses de Outubro a Dezembro. 

Resultados financeiros em 2015

Entre os resultados financeiros, a SAP anunciou, sem divulgar números, um crescimento de dois dígitos da receita de vendas de software em nuvem em seu balanço fiscal referente a 2015.  A plataforma de processamento de dados em tempo real SAP HANA teve grande adesão na região, puxada pelas vendas da solução de gestão S4 HANA, lançada no início do ano passado. Segundo a empresa, outro fator importante para esse desempenho foi a transformação digital dos clientes da região. A América Latina é uma das principais responsáveis pelos 2.700 clientes em todo o mundo que adotaram o seu produtos.

A TOTVS anunciou um crescimento de 3% de receita líquida em seu ano fiscal de 2015, totalizando R$ 2,2 bilhões, impulsionada principalmente pelo modelo de subscrição, que cresceu 21%, representando 10% da receita total de software, frente aos 8% registrado em 2014. Esse foi o primeiro balanço divulgado pela TOTVS após a reorganização societária com a Bematech, concluída em outubro passado. 

Já a própria Bematech anunciou um crescimento da receita recorrente das verticais (Varejo, Food Service, Hospitality) em 9,8%, se comparado ao mesmo período de 2014.  A receita líquida da companhia foi de R$ 112,6 milhões, valor em linha com o mesmo período de 2014.

Em 2015, a Mega Sistemas Corporativos cresceu 8,5% em relação a 2014, com um faturamento atingindo a casa dos R$ 75 milhões. A diversificação nas áreas de atuação, abertura de novas unidades e fortalecimento de parcerias contribuíram para o bom resultado, segundo a companhia.

O mesmo ocorreu com a Alterdata que faturou R$ 120 milhões em 2015, um crescimento de 20% em comparação ao ano de 2014. No ano passado, foram inauguradas quatro unidades de negócios e a empresa carioca focou sua atuação nos Estados do Sul do País, elevando sua atuação em 62% nesta região. No mesmo ano, a Alterdata comprou a operação de duas empresas de tecnologia.

[PARTICIPE da PESQUISA PANORAMA MERCADO DE ERP 2016, é só clicar aqui e RESPONDER]

Já a Sankhya Gestão de Negócios atingiu um faturamento de R$ 85 milhões, o que representou um crescimento para a companhia de 36,5%, quando comparado ao ano de 2014. 

Não divulgando faturamento, mas dando ênfase ao crescimento em percentual, a Infor anunciou os principais resultados do seu ano fiscal 2015. As taxas de licença de software e as receitas de subscrições cresceram 12%, com aumento na receita de SaaS de mais de 60% em relação ao mesmo período do ano anterior. As vendas SaaS aumentaram mais de 300% já que mais 45 milhões de usuários agora acessam os aplicativos Infor na nuvem, em 96 países diferentes.   

Também sem divulgar números locais, a IFS anunciou um crescimento de 5 % em 2015, totlizando um faturamento global em torno de US$ 380 milhões.

Durante o ano de 2015, a Jiva anunciou um aumento de 18% em sua receita no ano fiscal. No decorrer do período, a carteira de clientes cresceu 24%, sendo que do total de novos clientes, 34,8% são empresas do segmento Atacado-Distribuidor e 28,19% do segmento Varejo, dois segmentos-alvo da companhia.

A Linx encerrou o ano com receita operacional bruta de R$ 505,2 milhões, um incremento de 22,3% em relação ao ano de 2014. A receita operacional líquida foi de R$ 449,2 milhões em 2015, representando crescimento de 21,8% em comparação aos R$ 368,8 milhões em 2014.

O faturamento do Grupo Benner atingiu em 2015 o valor de R$ 220 milhões. Recentemente, a empresa inaugurou um Centro de Desenvolvimento, em Blumenau (SC) o que deverá contribuir para que a companhia possa atingir sua meta de crescimento de 50% nos próximos dois anos. 

A Senior anunciou uma receita consolidada de R$ 224 milhões no ano de 2015. O número representou um crescimento de 16% em relação ao ano anterior. A venda de soluções voltadas ao agronegócio registrou crescimento de 96% em relação a 2014 e, em paralelo, o ERP para pequenas e médias empresas superou o faturamento de 2014 em mais de 200%. A companhia ainda adquiriu uma nova empresa para atender com mais expertise o setor de logística, selecionou três startups para investir e incorporar novos produtos nos setores de E-commerce, Agro e Telecom em seu portfólio, criou uma Consultoria de Negócios para orientar as empresas sobre a melhor forma de conduzir seus recursos humanos.

A gaúcha Promob anunciou um faturamento de R$ 55,9 milhões em 2015, um crescimento de 5,8% em relação a 2014. 

A Ramo Sistemas, canal SAP especialista em B1, anunciou que seu faturamento em 2015 foi de 30 milhões. De acordo com a empresa, o seu crescimento foi pautado em uma estratégia de atuação baseada em um modelo de negócio de parceiros com atuação regional e verticalizada o que, dessa forma, contribuiu para atingir diversos segmentos da indústria. 

[PARTICIPE da PESQUISA PANORAMA MERCADO DE ERP 2016, é só clicar aqui e RESPONDER]

O ano fiscal também foi muito positivo para a Focco que em 2014 havia registrado um faturamento de R$ 22,7 milhões e em 2015, com um crescimento de 10,24%, totalizou R$ 25,07 milhões.

Fonte: Redação

AQUI, Download COMPLETO da Pesquisa PANORAMA MERCADO DE ERP 2015

Faça como mais de 45 mil profissionais e assine a nossa newsletter!



  • Nenhum comentário encontrado

Deixar seu comentário

Postar comentário

0

Cadastre seu e-mail * e receba nossa newsletter

iX Tecnologia e Educação Ltda. Todos os direitos reservados. Powered by por Oibê.