Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Open Banking e seu impacto na gestão empresarial

Postado por Phillip Beck, Desenvolvedor na a55 em 25/05/2021 em Artigos

No último ano muito tem sido falado sobre Open Banking e seus benefícios e oportunidades em praticamente todos os canais de mídia, mas as informações são, na maioria dos casos, incompletas ou de difícil entendimento.

Neste artigo, vamos compreender de maneira simples o que é o Open Banking, para que serve, como será implementado, e quais serão os efeitos na gestão das empresas e, por consequência, nos ERPs.

O que é Open Banking?

É um sistema de comunicação padronizado entre instituições autorizadas pelo Banco Central. Por meio dele, será possível consultar detalhes de produtos financeiros oferecidos, compartilhar dados cadastrais, transacionais e de produtos contratados e iniciar transações de pagamento.

O Brasil é pioneiro no Open Banking?

Não. Inglaterra, México e Austrália deram os primeiros passos e influenciaram muitos outros países, entre eles o Brasil, a seguirem nessa direção.

O acesso a todas as funcionalidades será liberado de forma simultânea?

Não. O projeto de Open Banking no Brasil foi estabelecido em 4 fases:

Fase 1: 01/02/2021

Única parte do projeto já implementada, a Fase 1 trata somente do compartilhamento de dados sobre canais de atendimento, produtos e serviços financeiros oferecidos pelas instituições participantes. Nessa fase não são compartilhados dados de clientes ou dos produtos contratados por eles.

Fase 2: 15/07/2021

A Fase 2 é quando se inicia o compartilhamento de dados de clientes. Nessa fase os clientes poderão compartilhar dados cadastrais, de transações em suas contas, cartões de crédito e produtos de crédito contratados.

Fase 3: 30/08/2021

A Fase 3 do Open Banking no Brasil diz respeito ao início de transações de pagamento e de encaminhamento de propostas de crédito.

Fase 4: 15/12/2021

Na fase 4, dados sobre outros serviços financeiros poderão ser compartilhados. Entre esses serviços estão seguros, operações de câmbio e investimentos. Nessa fase serão compartilhadas tanto informações sobre serviços oferecidos pelas instituições financeiras quanto dados das operações e contratações realizadas pelos clientes.

Meus dados financeiros serão compartilhados livremente entre os participantes do Open Banking?

De forma alguma. A ideia fundamental sobre a qual o sistema de Open Banking foi idealizado é a de que os dados são propriedade do cliente, e não das instituições que os detêm. A consequência lógica dessa ideia é de que essas informações devem ser acessíveis a qualquer um que seja autorizado pelo cliente e somente a quem seja autorizado pelo cliente.

Como o Open Banking muda a gestão das empresas e os ERPs?

São muitas oportunidades que podem parecer pequenas individualmente, mas que terão um impacto enorme no dia-a-dia dos departamentos financeiros e contábeis das empresas. Veja algumas das possibilidades que se abrem com a adoção desse sistema:

Visão agregada de todas as contas

Independente do tamanho, todas as empresas possuem contas em diversas instituições. Gerenciar as entradas e saídas de todas elas é um problema comum. Com a possibilidade do ERP consultar os dados de todas as contas e apresentar todas de forma agregada e unificada, o acesso a esses dados fica muito mais simples, sem a necessidade de acessar várias plataformas de bancos, gateways de pagamento e outras instituições.

Atualizações em tempo real

Com o acesso aos dados via API (Application Programming Interface), e não via arquivos que precisam ser baixados manualmente e carregados no ERP, a atualização de dados em tempo real passa a ser viável. O acesso aos dados cria efeitos imediatos na organização toda, reduz tempos de tomada de decisões e faz o compartilhamento de informações ser menos suscetível a erros.

Conciliação

Um problema presente em todas as empresas é a conciliação. Possibilitando uma visão única de pagamentos e saldos, o processo se torna menos tedioso e menos propenso a erros.

Realização de pagamentos via ERP em tempo real

Atualmente, quando é realizado um pagamento, 2 processos podem acontecer: No pior dos casos, o pagamento é feito pela plataforma do banco e depois lançado no ERP; no melhor dos casos, o ERP gera um arquivo que precisa ser carregado na plataforma do banco. Com a iniciação de pagamentos via API, o processo poderá ser realizado completamente via ERP, reduzindo a chance de erros e facilitando o processo de conciliação.

Encadear pagamentos

Ter que agrupar recursos de várias contas para realizar um pagamento é um cenário muito comum em todas as empresas. Usando a funcionalidade de iniciação de pagamentos, será possível montar o encadeamento de todas essas movimentações para coleta de recursos e o pagamento em somente uma tela.

Com o ERP controlando todas essas movimentações, a classificação de todas elas pode ser feita de forma automática, reduzindo ainda mais a parte manual do processo de conciliação.

Escolha das melhores taxas e condições

Vamos imaginar a seguinte situação: Uma empresa precisa realizar um pagamento numa moeda estrangeira. Para isso precisará realizar uma operação de câmbio.

A pessoa responsável pela operação terá que cotar taxas em várias instituições para encontrar o melhor valor ou, no pior dos casos, usará a instituição que está habituado, sem se preocupar com o valor. Depois disso, a operação de câmbio tem que ser vinculada ao pagamento para identificar o custo real de um produto ou serviço.

Agora vamos imaginar essa mesma situação com Open Banking: o ERP identifica um pagamento a ser realizado em moeda estrangeira. Com acesso em tempo real às contas da empresa, identifica que terá que ser realizada a operação de câmbio.

Usando as APIs das instituições financeiras, a pessoa responsável consulta taxas para essa operação, que exibe as melhores opções para o operador e já marca o custo da operação de câmbio como parte do custo real do produto ou serviço adquirido.

Outra situação hipotética: O ERP identifica que a empresa não terá caixa disponível para a folha de pagamento. Automaticamente, realiza uma consulta nas instituições financeiras e apresenta para o operador as melhores ofertas de crédito para cobrir essa quebra de caixa.

Conclusão

O Open Banking é sem dúvidas a maior revolução na gestão financeira das empresas desde as plataformas bancárias online. A possibilidade de coletar e agrupar informação de múltiplas fontes de forma automática e em tempo real apresenta inúmeras novas possibilidades como as apresentadas aqui e, com certeza, muitas outras que ainda nem consideramos.

A principal mudança no dia-a-dia das empresas, porém, será que o ERP deixará de ser uma ferramenta de controle e se tornará um centro de operações com inteligência integrada.

 

Postado por Phillip Beck, Desenvolvedor na a55 em 25/05/2021 em Artigos