filtros avançados

Busca simples


Busca Avançada

O que o Varejo pode aprender com a Manufatura quando o tema é ERP

Postado por Anthony Doesburg em 14/05/2014 em Gestão Empresarial com ERP

Blog Varejo 001O setor de manufatura é um excelente exemplo de uma indústria vertical que tem abraçado a tecnologia.

Sistemas MRP e ERP transformaram produtividade e eficiência em um setor cujas margens foram pressionadas pela globalização.

Agora o varejo está sob pressões semelhantes com o crescimento do varejo on-line.

A Tecnologia provou uma tábua de salvação para muitos fabricantes que poderiam facilmente ter ido sob a globalização - Outsourcing para as fábricas em partes do mundo onde o trabalho é barato - varreu o setor. E para aqueles que não são vulneráveis ??a preço baixo, a recessão global e outras pressões do mercado forçaram-nos  a procurar economias através de sistemas de TI.

Agora os varejistas estão enfrentando desafios semelhantes. Lojas online como a Amazon, com grandes centros de distribuição e rede de entrega rápida , estão ameaçando a subsistência de varejistas de lojas físícas. Nem mesmo a possibilidade de aplicação de impostos para pequenas compras no exterior pode ser o suficiente para salvar os lojistas locais , muitos dos quais estão lutando para igualar os preços e gamas de produtos de seus novos concorrentes online.

Para se ter uma esperança de se aproximar aos preços, que a Amazon e demais lojas on-line podem oferecer aos compradores , os varejistas de lojas físicas precisam acompanhar as mudanças fundamentais do sistema.

Por exemplo, um fabricante de alimentos encontrou grandes economias de custo quando se começou a usar o ERP para controle financeiro , que foi implementado para reunir os dados de vendas de 50 anos da empresa e marketing, comercial e a administração.

O sistema tem ajudado o negócio de exportação a reduzir os custos de matérias-primas, onde a matéria-prima é a principal despesa individual.

A implementação de novos módulos apoiá as empresa a satisfazerem suas ambições de crescimento.

Outro exemlo é uma empresa que fabrica componentes de fibra de carbono, manteve com sucesso uma ameaça aos seus negócios à distância , graças a um sistema de planejamento de recursos empresariais moderno. Agora ele está às voltas com a obtenção de vendas on-line . Mas tem a vantagem de ser capaz de aplicar as lições aprendidas durante a implementação do sistema ERP para o seu mais recente desafio.

No caso do desafio de lojas on-line, a gestão de estoques é um dos principais desafios, abaixo descrito o relato do sr. Holland, gerente de materiais da fabricante de compenentes de fibra

"Nós trabalhamos para obter os códigos corretos de produtos, incluindo a divisão de alguns dos nossos produtos em componentes que podem ser vendidos separadamente. No entanto, estamos revisitando alguns dos nossos processos em torno dos códigos de barras , números de série e de lote para nos tornar mais web -shop -friendly ".

O sistema ERP ajudou a fabiricante de componentes de carbono a fazer a transição para a produção de uma gama de compósitos tubulares para aplicações tão diversas como telescópios, pescoços de guitarra e silenciadores de armas , bem como componentes de controle para as asas de iates a 2013 da regata.

Abaixo relato do sr. Holland sobre o controle de custos e precificação de produtos.

"Sem a informação de custos, que passou a ser medida após a implantação do sistema ERP,  correriamos o risco de calcular as margens de forma errada e levar a empresa a prejuízos", diz Holland . "Nós também temos uma imagem muito mais clara do custo do produto contra preço de venda no momento em que as pessoas estão tomando muito mais cuidado sobre o que comprar"

Como Amazon demonstra , uma vez que os varejistas on-line tem a plataforma de tecnologia adequada , eles são limitadas apenas pela sua imaginação e orçamentos de marketing . A Amazon começou como uma loja on-line a 20 anos atrás vendendo livros e hoje seu faturamento passa os US$ 60 bilhões e tem em seu portfólio todo sortimento de produtos a venda.

Google, para não ficar atrás , também está fazendo sua marca no varejo online. Que começou a vida como Froogle , um serviço de comparação de preços , o Google Shopping é mais recente oferta do gigante das buscas , o que leva os consumidores a comerciantes que compram anúncios no site.

 

*Anthony Doesburg é jornalista e articulista sobre Tecnologia da Informação do The New Zealand Herald

 

Postado por Anthony Doesburg em 14/05/2014 em Gestão Empresarial com ERP