Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Entender do negócio é uma das competências necessárias ao profissional de TI

Postado por

Redação

em 02/12/2013 em Destaques

Quem pensa que o profissional de Tecnologia da Informação cuida apenas de manter os equipamentos funcionando está enganado. Profissionais com...

Quem pensa que o profissional de Tecnologia da Informação cuida apenas de manter os equipamentos funcionando está enganado. Profissionais com alto nível de capacitação e habilidade para lidar com situações complexas garantem o bom andamento das atividades da maior parte das empresas.

Além do profundo conhecimento em tecnologia, é importante para um profissional de TI conhecer aspectos do negócio. Só assim é possível vislumbrar como o departamento de tecnologia ajusta-se a tal estrutura.

De acordo com o consultor de carreira e headhunter da Eleva Consultoria, Paulo Sérgio de Souza Correa, os profissionais precisam ter uma forte formação técnica, tanto na graduação, como nas especializações, já que a esta é uma área com mudanças velozes. ?Normalmente eles têm formação em Ciências da Computação, Sistemas de Informação e Gerenciamento de Projetos; além de experiência prática nas empresas e cursos profissionalizantes como DBA, linguagem de programação, suporte técnico de hardwares, segurança da informação, entre outros?, diz.

Quando se traça um perfil dos talentos que o mercado procura hoje, o desenho é mais ou menos o seguinte: a pessoa deve ter conhecimento técnico de processos, é claro, porém é imprescindível a capacidade de entender a empresa como um todo, não se restringindo apenas à sua área de atuação. Facilidade em tomar decisões, além de capacidade para gerenciar projetos, complementam o perfil.

Luciano Antonio Malavazi tem 31 anos e atualmente é Gerente de Relacionamento e Projetos. No mercado de TI desde 2000, ele comenta que muita coisa mudou nestes 13 anos. ?Tenho percebido que o perfil que as empresas procuram hoje é diferente de anos atrás. Não basta mais ter conhecimento técnico para ter acesso às melhores vagas. Os empregadores exigem que tenhamos uma visão mais estratégica do negócio?, define, citando ainda que é comum entre as exigências um MBA na área administrativa. ?Neste novo cenário, temos um papel de maior destaque. Temos que estar antenados com as tendências e trazer oportunidades de negócios para as empresas às quais integramos. Quando o profissional de TI adquire essa capacidade, a conversa com o gestor é facilitada e a gestão dos projetos fica mais clara para todos os envolvidos?, diz.

Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), a TI deve representar 5% do PIB em 2014, gerando demanda de 300 mil novos empregos. ?O mercado não está conseguindo suprir a necessidade de mão de obra. E este perfil não deve mudar tão rapidamente, pois a formação de profissionais é técnica e demorada; logo, para quem tem perfil e gosta da área, é uma excelente oportunidade de carreira?, afirma Correa.

Com esse cenário de maior exigência, contratar, capacitar e reter talentos são desafios para empresas do ramo. Com a demanda de profissionais muito superior à oferta, as empresas precisam criar estratégias para retê-los. ?Apenas salário não é suficiente. É preciso ter um ambiente que proporcione desenvolvimento e desafios constantes, além de bom clima de trabalho e pacotes de benefícios atrativos?, explana o consultor.

O headhunter explica que esses benefícios são relevantes devido à média de idade desses profissionais. ?Geralmente a maioria é jovem, na faixa dos 20-30 anos, bem no centro da chamada geração Y, que tende a ser mais impaciente com o desenvolvimento de suas carreiras, buscando crescimento mais acelerado?, afirma Paulo. ?Além de atrair talentos com benefícios, outra alternativa bastante usada pelas empresas é desenvolver sua própria mão de obra, contratando jovens aprendizes?, sugere Paulo. Algumas empresas também optam por projetos de universidade corporativa para desenvolvimento e formação de seus profissionais. Malavazi aponta que entre os vários motivos que contribuem com sua escolha em fazer parte de uma determinada companhia estão as possibilidades de colocar em prova seus conhecimentos. ?Levo muito em consideração o desafios e o ambiente de trabalho. Profissional feliz produz mais?, garante.

 

Por Rafael Meira e Kamila Schneider

 

 

 

 

Postado por

Redação

em 02/12/2013 em Destaques