Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Made in TOTVS Corporation... será ?

Postado por

Luciano Itamar

em 18/06/2015 em Destaques

O que pode representar para a maior empresa de ERP da América Latina o anúncio feito esta semana? Na última segunda,...

Laercio e Kedes TOTVS Portal ERP2O que pode representar para a maior empresa de ERP da América Latina o anúncio feito esta semana?

Na última segunda, 15/06, a imprensa foi convocada pela TOTVS para apresentar as novidades e toda a temática que seria abordada no dia seguinte no Universo TOTVS, o evento mais importante da empresa e um dos principais eventos de TI do mercado brasileiro. Sobre este dia de grande experiência que foi o evento, publicaremos uma descrição detalhada á partir da próxima semana, através de uma cobertura especial. Contudo, uma outra notícia bastante relevante foi destaque: o anúncio de Rodrigo Kede Lima, anteriormente o VP mundial de Transformação da IBM, como o novo diretor-presidente da corporação, para suceder Laércio Cosentino, fundador da companhia.

O plano de transição vai durar três anos. Neste periodo  Laércio ocupará apenas o cargo de CEO, enquanto Rodrigo Kede, que renunciou ao cargo de membro do Conselho de Administração antes do anúncio, se reportará diretamente a Laércio. Concluído o periodo de transição, Rodrigo Kede acumulará os cargos de diretor-presidente e CEO e Laércio, que segue como membro do Conselho de Administração além de presidente do Comitê de Estratégia e Tecnologia, se candidatará a reassumir a presidência do Conselho de Administração.

Quando estas notícias são dadas pelo mundo, aliás com uma frequência maior do que se imagina, elas vem acompanhadas das mais variadas interpretações, e de perguntas que só podem ser respondidas pelo tempo?o tempo particular que cada empresa se permite para suas realizações. Contudo, se avaliarmos as particularidades de nosso mundo de TI, e mais ainda, os protagonistas deste enredo, fico tentado a divagar no exercicio da ?futurologia? e da boa percepção.  

Pois bem?então vamos aos fatos.

Rodrigo Kede é um daqueles executivos prodígio. Em 1993 entrou na ?Big Blue? como estagiário. Em 2006 tornou-se CFO da empresa no Brasil; em 2009 virou CFO para a América Latina. Em 2011 foi VP de Serviços de Tecnologia e, em 2012, tornou-se o presidente mais jovem da história da empresa no Brasil. Antes de chegar a nova casa, Kede estava desde Janeiro deste ano como vice-presidência Mundial de Transformação na mesma IBM, a gigante de TI com quase 400 mil funcionários, espalhados por 170 países, uma receita de US$ 92,8 em 2014, e que exala o DNA da internacionalização e a essência do atendimento ás grandes corporações.

Dez anos antes do início da história de Kede na IBM, Laércio, juntamente com Ernesto Haberkorn e um investimento inicial de US$ 6 mil, fundou a Microsiga. Seu pioneirismo, visão empreendedora e conduta empresarial exemplar culminaram ao longo destes anos, naquilo que pode ser considerada como a maior movimentação de empresas da história do mercado de TI no Brasil, resultando na criação da TOTVS, a maior empresa de software da América Latina, sexta maior fornecedora de ERP do mundo, primeira empresa brasileira de tecnologia a fazer um IPO, faturamento anual de R$ 1,8 bilhões em 2014 e um total de 26 mil clientes em sua carteira.    

Falando do cenário por aqui, A TOTVS sempre foi em sua essência uma fornecedora voltada as PMEs, e apesar de manter sua posição de líder absoluta para este segmento,  tem acompanhado avanços crescentes da concorrência, não só de empresas que foram criadas inicialmente como provedoras para grandes corporações e que tem voltado suas ações também para este segmento, como também de um grande número de desenvolvedoras menores e que tem focado suas estratégias na especialização por verticais de mercado. Se avaliarmos as consideradas grandes contas, atendidas neste caso pela TOTVS Private, o número de clientes com faturamento acima de R$ 2 bilhões é de aproximadamente cem, ou seja ,0,4% do total. Além disso, as vendas internacionais não caminharam como o previsto, atingindo apenas 2% da receita em 2014. 

Sendo assim, seria bastante razoável para uma empresa com uma alta capacidade de inovação, grande valor de capital humano e visão de futuro como a TOTVS, conduzir uma nova gestão estratégica que priorizasse o aumento de seu ticket médio, não só no mercado brasileiro, potencializando suas soluções entre as grandes corporações, como também oferecendo seu portfólio em mercados externos atrativos, balizados prioritariamente por qualidade e algum nível de nacionalização no produto, correto? Sim, e não é difícil enxergar isso.    

Juntando todos estes aspectos, a conjuntura não poderia ser melhor: ótimos artistas, um grande e bem montado palco e uma platéia querendo assistir. Seria este o sinal? Quais serão as próximas cenas do espetáculo?

O tempo, diga-se de passagem cada vez menor, trará as respostas. A julgar pelo elenco, hoje a resposta é: palmas! Palmas mais uma vez para o empreendedorismo brasileiro!

Editorial: por Luciano Itamar  

Postado por

Luciano Itamar

em 18/06/2015 em Destaques