Busca

filtros avançados

Segunda fase do eSocial deve ser entregue a partir de março

Artigo eSocial Portal ERP

Está em vigor desde janeiro deste ano, o eSocial faseado - projeto do governo federal que abrange o Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal, que agora deverá ser entregue em três etapas, cada uma contendo cinco fases.

O mês de março marca o início da segunda fase do cronograma, porém, o envio do cadastramento inicial poderá ser distribuído em dois meses ? março e abril de 2018.

A boa notícia é que o cadastramento inicial da base de empregados (S-2200 - Cadastramento Inicial do Vínculo e Admissão de Trabalhador) não precisa ser realizado obrigatoriamente no primeiro dia de março, mas deve constar no Ambiente RET antes do inicio da próxima fase, ou seja, até o dia 30/04/18.

O prazo está se encerrando! Participe da pesquisa Panorama Mercado de ERP Brasil 2017 e concorra a um iPad Mini. Você vai levar 3 minutos!

Dentre as especificações da segunda fase, a empresa precisa compor o Registro dos Trabalhadores já a partir do primeiro dia do mês de março, ou seja, o cadastramento inicial de vínculos deve preceder qualquer outro evento relativo a um determinado empregado.

Diante de tantas especificações, datas de entregas e as constantes alterações que a obrigatoriedade recebe, as empresas acabam empreendendo mais tempo do que o necessário para que as entregas ocorram de forma completa e correta, mas isso nem sempre acontece no prazo ideal, o que acaba por acarretar complicações indesejáveis, como por exemplo, multas por atraso.

Compre seu ingresso para o ERP Summit!

A grande maioria das empresas tem optado por soluções de automação fiscal que ajudam na gestão e consolidação de dados, facilitando as entregas das obrigações, de forma segura, ágil, completa e assertiva. Um detalhe, porém, é o cuidado que a empresa deve ter com a atualização constante dessas soluções, visto a grande quantidade de mudanças sofridas pelas próprias obrigações, que impactam diretamente nos softwares. Para empresas que não possuem ferramentas de automação fiscal, que tal pensar em simplificar suas entregas?