Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Instituição aprimora mapeamento de personalidade com ferramenta de IA

Postado por Redação em 27/09/2019 em Notícias Tech

ONG americana, Guiding Eyes for the Blind, escolheu a tecnologia Watson da IBM

ONG americana, Guiding Eyes for the Blind, escolheu a tecnologia Watson da IBM

A IBM, em parceria com a Guiding Eyes for the Blind, projetou um dispositivo chamado Smart Collar, que utiliza inteligência artificial da IBM, IBM Watson, para determinar quais filhotes são os mais adequados para o trabalho de cão-guia.

Com o auxílio dessa tecnologia, o instituto consegue economizar tempo e dinheiro durante o treinamento.

A Guiding Eyes for the Blind é uma ONG americana, que se dedica a criar e apoiar conexões que mudam a vida entre cães e pessoas cegas e deficientes visuais.

O dispositivo surgiu a partir da necessidade da ONG, que precisava aumentar a taxa de graduação de cães e expandir a oferta de cães-guia. Isso porque, nos Estados Unidos, por exemplo, mesmo com um programa de treinamento de 20 meses a um custo de US$ 50 mil para um único cão, as taxas de sucesso do treinamento oscilavam em torno de 30%.

Embora o Guiding Eyes for the Blind tenha dedicado décadas coletando informações detalhadas sobre criadores de filhotes, treinadores, mapas genéticos de cães e registros médicos, esses dados acabam não tendo grande serventia para a instituição, pois não eram analisados de maneira eficiente, para desse modo, melhorar as taxas de sucesso no processo de treinamento dos animais.

Faça como mais de 56 mil profissionais e assine a nossa newsletter!

Ao trabalhar com a tecnologia do Watson, a ONG foi capaz encontrar informações de meio milhão de registros médicos dentro da organização e mais de 65 mil registros de temperamento.

Os dados, colocados em funcionamento, permitiram que o Guiding Eyes for the Blind, trace as principais características e indicativos de personalidade dos treinadores como temperamento, dados médicos e genéticos apropriados do cão. Trabalhando com Watson, a ONG prevê que as taxas de graduação dos cães melhorem em pelo menos 20%, colocando mais recursos para treinar mais cães-guia e desse modo, acompanhar a demanda.

Postado por Redação em 27/09/2019 em Notícias Tech