Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Governo de SP destina R$ 30 milhões para startups e pesquisadores

Postado por Redação em 24/03/2020 em Notícias

Fapesp liberou o investimento para startups e pesquisadores que tenham projetos sobre coronavírus

Fapesp liberou o investimento para startups e pesquisadores que tenham projetos sobre coronavírus

Nesta semana, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, (Fapesp), anunciou que irá destinar R$ 30 milhões a startups e pesquisadores, que estejam atuando no desenvolvimento de produtos ou serviços, que possam auxiliar no combate ao Covid-19.

Vale destacar que esse programa é uma antecipação do “Ideia Gov”, que seria lançado mais pra frente, pelo governo estadual, como uma estratégia para incentivar startups a solucionarem gargalos públicos.

De início, R$ 10 milhões serão revertidos a projetos de pesquisa que tratem da compreensão, redução de risco, gestão e prevenção ao vírus, que já estejam em andamento, de acordo com o governo do estado. Na prática, os projetos aprovados para essa fase, devem ter duração de 24 meses e o valor máximo para cada proposta será de R$ 200 mil. O prazo para submissão vai até 22 de junho de 2020.

Faça como mais de 56 mil profissionais e assine a nossa newsletter!

Na segunda chamada, com prazo de submissão até 6 de abril, (podendo ser prorrogado por 15 dias), a Fapesp e a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), vão liberar R$ 20 milhões para startups ou companhias, com até 250 funcionários, que consigam escalonar produtos de combate à Covid-19.

O financiamento pode ser destinado a produtos como, por exemplo, kits de diagnósticos e ventiladores pulmonares bem como a soluções de tecnologias digitais e inteligência artificial para os serviços voltados ao setor de saúde ou atendimento de pacientes. Cada projeto aprovado, nesta etapa, terá R$ 1,5 milhão de apoio.

"As pesquisadoras que decodificaram o genoma do coronavírus no Brasil estavam desenvolvendo um projeto de outro tema. Esbarraram nessa possibilidade e pediram recurso adicional. A ideia é que façamos isso não no varejo, mas no atacado.", declarou Patricia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico.

Postado por Redação em 24/03/2020 em Notícias