Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

CPQD investe em Blockchain para evitar desperdício de medicamentos

Postado por Redação em 01/10/2019 em Notícias Tech

Estudos sugerem economia de R$ 1 bilhão, por ano, com monitoramento de prazos de validade

CPQD investe em Blockchain para evitar desperdício de medicamentos

O CPQD, (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), anunciou a criação de uma rede de compartilhamento de medicamentos, que faz uso da tecnologia Blockchain, para dar segurança às transações e, ainda, garantir que elas sejam realizadas de acordo com as normas da Anvisa, (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

 

Chamada de N2Med Ledger, a nova rede usa uma solução de Blockchain que foi projetada pelo CPQD, com o suporte da EMBRAPII, do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e da N2M-I Technology Ventures.

De acordo com Lourran Carvalho, farmacêutica pesquisadora e idealizadora do projeto, a solução é de extrema importância para gerar economia, isso porque, estudos sugerem que o setor de saúde pública, poderia alcançar uma economia de R$ 1 bilhão por ano, em relação ao vencimento do prazo de validade de medicamentos.

Na prática, as instituições que cadastradas, como farmácias, hospitais, laboratórios e entidades sociais, podem fazer a troca, empréstimo ou até mesmo a doação de medicamentos liberados pela Anvisa. Esse processo é realizado com base em regras estabelecidas por consenso em contratos inteligentes.

Faça como mais de 56 mil profissionais e assine a nossa newsletter!

Outra vantagem, desenvolvida em plataforma Hyperledger Fabric, está na questão relacionada a garantia de rastreabilidade dos medicamentos, que têm suas informações registradas na rede, e das transações realizadas.  Fato que segundo Israel Murakami, presidente da Associação Brasileira de Farmacêuticos Atuantes em Saúde Pública (ABFASP), cria uma cadeia de responsabilidade que garante mais segurança legal às partes que estão negociando a troca.

“Todos os registros acontecem na rede (ledger) que conecta as instituições, o que desburocratiza e traz agilidade ao processo, ao dispensar diversos documentos necessários para formalizar a troca, empréstimo ou a doação de medicamentos.”, garante Fernando Marino, líder técnico em Blockchain do CPQD. “Com isso, uma transação que levava dias para ser concluída agora pode ser realizada em segundos, e com total confiabilidade para todos os envolvidos.”, complementa Fernando.

Postado por Redação em 01/10/2019 em Notícias Tech