Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Centro hospitalar usa IA para otimizar o diagnóstico de doenças

Postado por Redação em 09/03/2020 em Notícias Tech

Unimed Grande Florianópolis adotou o Robô Laura para o diagnóstico precoce de sepse

Unimed Grande Florianópolis adotou o Robô Laura para o diagnóstico precoce de sepse

Cada vez mais próxima do ecossistema de inovação potencializado por startups e empresas de tecnologia, a Unimed Grande Florianópolis adotou em seu Hospital o uso diário da plataforma de inteligência artificial conhecida como “Robô Laura” para auxiliar no diagnóstico precoce de sepse.

“Estamos orgulhosos por trazer a Santa Catarina essa tecnologia que cumpre um importante papel preventivo no setor de saúde.”, afirmou Richard Oliveira, CEO da cooperativa.

https://erpsummit.com.br/

A sepse é uma condição clínica grave, preocupante em todo mundo, que leva ao óbito em percentuais variáveis, podendo chegar a, aproximadamente, 55% em alguns casos. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a sepse é a causa de morte de mais de seis milhões de pacientes por ano no mundo

O assessor médico de Inteligência em Saúde da cooperativa, Raphael Corrêa Santa Ritta, explicou que o Robô Laura monitora e analisa  através de machine learning dados como, por exemplo, idade, sexo, sinais vitais (pressão arterial, frequência cardíaca, frequência respiratória e temperatura), saturação de oxigênio e glicemia capilar de cada um dos pacientes internados nos 75 leitos.

Faça como mais de 56 mil profissionais e assine a nossa newsletter!

“Com base nessas informações são gerados alertas em painéis de gestão, que identificam, por ordem de criticidade, os pacientes com deterioração clínica. Dessa forma, os médicos estabelecem o diagnóstico mais precoce de sepse e iniciam o tratamento imediatamente, baseado no histórico clínico do paciente e de seus exames complementares.”, explica.

Na prática, a inteligência artificial empregada permite coletar e analisar dados dos pacientes internados a cada 3,8 segundos. O objetivo é reduzir o tempo para a identificação daqueles que estão com infecção generalizada e aumentar a velocidade até o início do tratamento, o que pode ser essencial para salvar vidas. "Trata-se do primeiro Hospital em Santa Catarina a implantar esse robô e caminha junto da tecnologia por uma saúde mais eficiente.", sintetizou o CEO de Laura, Cristian Rocha. 

Uma vez implementado, o sistema conversa diretamente com a área operacional e gerencia riscos, também aprende de acordo com novas informações e se adapta às condições atuais do paciente. Além disso, o robô integra-se com resultados de exames laboratoriais e com os horários das prescrições médicas do paciente, permitindo identificar, em tempo real, agravos em sua saúde.

https://erpsummit.com.br/

Quando identificados aqueles com deterioração clínica, são emitidos alertas nos painéis de gestão para que a equipe possa prestar o atendimento imediato. Em situações de maior criticidade, alertas podem ser enviados para um time de resposta rápida composto por médicos e enfermeiros.

O Diretor Técnico do Hospital Unimed, Gabriel Gustavo Longo, afirmou que não tem dúvidas de que a ferramenta representa uma evolução na segurança do usuário. “Auxilia a equipe assistencial a monitorar e identificar de forma precoce os pacientes hospitalizados que apresentam deterioração do seu quadro clínico, como acontece nos casos de sepse.”

Robô Laura: A plataforma de inteligência artificial foi desenvolvida em Curitiba pelo analista de sistema Jacson Fressatto após a perda de sua filha, que se chamava Laura, devido um quadro de sepse em 2010. Ativo desde 2016, o Robô teve cerca de 2,5 milhões de atendimentos analisados e estima-se que já tenha ajudado a salvar mais de 12 mil vidas.



 

Postado por Redação em 09/03/2020 em Notícias Tech