Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

4 passos para obter eficiência operacional na área fiscal

Postado por Cesar Kazakevicius, head de Tax Solutions da Engineering em 08/10/2019 em Artigos

4 passos para obter eficiência operacional na área fiscal

A transformação digital é normalmente representada por três pilares: experiência do cliente, eficiência operacional e novos modelos de negócios.

Dentro da área fiscal, considerando o estágio inicial de maturidade das empresas na jornada digital, o pilar da eficiência operacional deve ser o foco principal, pois reduz os custos e melhora os resultados.

Então, os investimentos devem estar focados no aprimoramento dos processos. Este é o caminho para o crescimento. E quando pensamos nas áreas fiscais, lembrando que o Brasil é o segundo país com a maior complexidade fiscal do planeta, estes departamentos devem estar no alvo das empresas quando o assunto é agilidade e melhoria contínua do negócio. Mas como alcançar este objetivo?

Primeiro de tudo e mais importante, mindset! A transformação só ocorre se as pessoas envolvidas mudarem a forma de pensar, ou seja, de imaginar o próprio trabalho e de suas competências. As tecnologias são facilitadoras, mas elas por si só não fazem transformação.  Então, seguem sete passos para aplicar as mudanças na área fiscal com foco na eficiência operacional.

1.Tenha empatia - sua função é garantir a conformidade da empresa e mitigar a exposição fiscal? Ótimo, mas olhe também para a área de negócios e o Fisco, elencando questões que buscam responder, de forma holística, os processos e as pessoas e o impacto da tecnologia em seus escopos.

2. Experimentação, ou seja, aprender pela prática – não construa um mundo para depois perceber onde errou. Quebrar problemas em MVPs (Produto Mínimo Viável) permite enxergar grandes gargalos em problemas menores e, assim, ver a entrega rapidamente, não daqui seis meses. Uma solução que garanta o compliance fiscal de toda a sua empresa não está à venda em uma prateleira. Que tal começar pelos pontos de maior dor, construir um protótipo e verificar o valor agregado em algumas semanas?

3. Competências – organizar a empresa aplicando o conceito de equipes multidisciplinares proporciona ao time o acesso a conhecimentos distintos, o que viabiliza a resolução de um problema a partir de discussões que envolvam diferentes visões.

4. Adote um software de gestão, busque uma adequada solução fiscal e invista em novas tecnologias - ter uma visão sistêmica da empresa como um todo é a base, assim como é importante contar com uma solução fiscal adequada, que garanta o compliance das informações.

Com a casa organizada, é hora de pensar em inovação. Adotar a nuvem para garantir redução de custos, simplificação e escalabilidade é o primeiro passo. Como meta seguinte, invista em RPA (Robot Process Automation) para automatizar seus processos e aposte no Machine Learning, pois o volume de dados gerados pelas áreas fiscais é uma matéria prima preciosa para uma rede neural.

Hoje é possível, a partir desse universo de dados, inferir as regras fiscais que estão ou não sendo aplicadas, determinando qual ajuste fiscal é correto e relevante para a empresa. A mudança de mindset nas organizações e as tecnologias habilitadoras são o caminho para a transformação digital das funções fiscais nas empresas com foco na eficiência operacional.

 Mas, diante do cenário de disrupção, se imaginarmos um futuro realmente integrado, em um ambiente no qual os contribuintes e a Receita Federal possuem visibilidade sobre o processo inteiro de apuração, arrecadação e gastos dos impostos, será indispensável investir na experiência do cliente ou até mesmo em novos modelos de negócios. Mas esse tema é para o próximo artigo. Falamos em breve e foco na eficiência operacional! 

Postado por Cesar Kazakevicius, head de Tax Solutions da Engineering em 08/10/2019 em Artigos