Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

IKKI - Beyond Finances

Apresentamos o IKKI ERP, um sistema totalmente integrado, que atua com módulos parametrizáveis de acordo com cada segmento, assim como tamanho, necessidades e objetivos de cada empresa, tornando-se uma ferramenta diária de uso prático com a facilidade de acesso via computador, tablete e smartphone. Em um mundo cada vez mais competitivo, esse sistema deixa de ser uma opção e torna-se essencial, até mesmo para empresas de médio e pequeno porte.

Tel.: (11) 4040 Ver tel. completo

Mais informações

Gestão de Pessoas na era da transformação digital

A era digital chegou e está evoluindo cada vez mais rápido. Com isso os modelos de negócios, a experiência do cliente, o consumo, a cultura da empresa, a gestão de pessoas, entre outros, tem se transformado. Mas de todas essas mudanças, podemos dizer que a força motriz é a gestão de pessoas, visto que é preciso de pessoas para empregar tecnologia e continuamente mapear, inspecionar e adaptar processos.

De acordo com o economista Cezar Taurion, consultor sênior, evangelista de tecnologia e mestre em Ciência da Computação, a transformação digital não se resume em automação de processos ou adoção de tecnologias, sendo bem mais abrangente, envolve mudanças no modelo mental, estrutural e cultural da empresa, podendo, muitas vezes, transformar seus modelos de negócios.

 

As ferramentas digitais estão moldando a forma como as pessoas vivem, se comunicam e, principalmente, trabalham. De acordo com uma pesquisa da Deloitte, no Brasil, 82% das empresas classificam o RH digital como “importante” ou “muito importante”. Ao menos 56% das empresas reformularam seus processos de RH para aproveitar ferramentas digitais.

 

Deve ser por esse motivo que as empresas estão investindo cada vez mais em tecnologia. De acordo com a pesquisa realizada pela Accenture, Be the New Digital Enterprise, estima-se investimentos empresariais na faixa de US$100 trilhões para processos ligados à Transformação Digital. A pesquisa também demonstrou que as corporações que compreendem a importância da Transformação Digital são 26% mais lucrativas do que as demais.

 

Segundo a pesquisa realizada pela Sambatech e Samba Digital com o apoio da Unico, 62,5% das empresas brasileiras devem investir de 10% a 30% do seu faturamento total em transformação digital durante 2021. De acordo com o estudo, 44% das pequenas e médias empresas com rendimento de até R$10 milhões já estão implementando uma estratégia de transformação digital, enquanto apenas 38,9% das companhias com faturamento igual ou acima de R$1 bilhão estão realizando o mesmo processo.

 

A pesquisa 2021 CFO Peer Insights: Digital Transformation and IT Spending Priorities, realizada pela Rimini Street, empresa provedora global de produtos e serviços de software empresarial, entrevistou CFOs (Chief Financial Officer) de 13 países,  dentre eles, Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, França. De acordo com 80% dos CFOs entrevistados, a transformação digital é uma das cinco prioridades corporativas. Para outros 71%, a mudança de mentalidade é a chave para o sucesso da empresa. Sendo assim, pode-se compreender que a transformação digital é a união de pessoas, processos e tecnologia, e o seu resultado depende de um sincronismo, sendo as pessoas o único ingrediente ativo. E esse ingrediente ativo precisa de uma gestão diferenciada, que atenda a todas as demandas e necessidades, acompanhando esse processo evolutivo. Portanto, a chave para uma gestão de pessoas eficaz em ambiente digital é a liderança.

 

 

O propósito e a liderança como chaves

 

Implementar tecnologias, como Cloud Computing, Blockchain, IoT e IA, mudam a maneira como a empresa atua. Os chatbots, por exemplo, substituem os postos de atendimento, e comprovam que a transformação digital pode representar a cadeia de valores da organização, pois para atender uma demanda emergente é preciso reconsiderar fatores ligados a pessoas e processos.

 

O papel do líder é determinante para avançar nessa mudança cultural, a fim de atingir um mindset de colaboração e agilidade, com um propósito claro e bem definido. O propósito de uma empresa deve refletir algo ambicioso, um diferencial que demonstra aos seus colaboradores como podem fazer a diferença, fornecendo-lhes uma noção de sentido e atraindo o seu apoio.

 

Em uma entrevista publicada na HBR Brasil Channel, Cristiane Amaral, líder de Performance Improvement, definiu que propósito é a razão de ser de uma empresa. Quando há um propósito bem definido, é possível ter uma visão estratégica e diferenciada, apoiando colaboradores no processo de tomada de decisão. Um propósito sólido permite que o negócio entregue produtos e serviços com exclusividade, proporcionando uma experiência única aos clientes, funcionários e stakeholders.

 

De acordo com a pesquisa Ascensão da geração Z: novo desafio para varejistas, realizada pela EY junto a universidade de Harvard, 89% dos empresários acreditam que as companhias lideradas por propósito entregam produtos ou serviços de maior qualidade, além de proporcionar funcionários mais engajados, duas vezes mais satisfeitos e três vezes mais comprometidos em permanecer na organização.

Os grandes talentos estão em busca de uma razão, um sentido de estar em determinada empresa ou função, por isso, em tempos tecnológicos e digitais, nos quais o home office veio para ficar, é importante que o líder saiba transmitir o propósito da empresa para seus colaboradores.

 

A gestão de pessoas é trivial para atrair, manter e motivar talentos, visto que com a transformação digital surge a necessidade da formação de profissionais completos, com múltiplas competências. Sendo assim, o desenvolvimento de líderes alinhados ao propósito da empresa com seus colaboradores e a capacitação contínua são os pilares a serem solidificados dentro das empresas.

 

Segundo Ronald Heifetz, diretor fundador do Centro de Liderança Pública da Escola de Governo John F. Kennedy da Universidade de Harvard, a função principal do líder é a capacidade de detectar mudanças, auxiliar na adaptação de seus colaboradores, sem mudar radicalmente o ambiente de trabalho.

 

Para que mudanças drásticas e negativas não ocorram no ambiente de trabalho durante a implementação de tecnologias, como Inteligência Artificial (IA), Machine Learning, Internet of Thing (IoT1), Big Data, e entre outros, é preciso que os colaboradores sejam preparados com novos conjuntos de competências, mostrando a evidente necessidade de um aprendizado contínuo e sistemático. Sendo fundamental para as empresas, estratégias de monitoramento das práticas de mercado e capacitações para os seus profissionais.

 

Os líderes devem trabalhar em conjunto com as áreas de RH, com o propósito de manter uma estratégia de análise da capacidade interna e ações que disponibilizem meios para aperfeiçoar as competências dos seus times.

 

            Quando há um bom líder e propósitos bem definidos, a transformação digital vem para somar e potencializar o crescimento da empresa.

            Aposte em inovações tecnológicas que irão transformar a sua cultura empresarial no seu negócio, oferecendo todo suporte de implementação necessário. A IKKI oferece soluções completas para a transformação digital, como a Academia de Negócios, uma plataforma de cursos para líderes e colaboradores desenvolverem seus conhecimentos acerca de novas práticas de mercado e uso de softwares, capacitando pessoas para o ambiente digital.

Para tornar sua experiência mais agradável usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o Portal ERP. Acesse nosso 'Termos de Uso e Política de Privacidade' para saber mais. Ao clicar em 'Aceitar', você consente com a otimização do site pelo uso de cookies.