Encontre aqui seu Software

Busca simples


Busca Avançada

Home office será mudança que deve permanecer pós-pandemia

Postado por Renato William, especialista em gestão de negócios e diretor da Sankhya- ES em 04/09/2020 em Artigos

Renato William, especialista em gestão de negócios e diretor da Sankhya- ES

Em toda a história da humanidade, alguns acontecimentos históricos deixam marcas no tecido social e influenciam transformações no modo de viver a partir daí. A pandemia de Covid-19, pode ser a disrupção do século.

Mesmo sem sabermos como e quando vai acabar, já se fala no mundo pré e pós-pandemia, evidenciando que algumas mudanças vieram para ficar.

A inclusão da tecnologia nos negócios e a adoção do home office são algumas delas, que até já acontecia, mas que a pandemia foi o combustível para uma aceleração de anos. Se antes o Brasil engatinhava no número de pessoas realizando trabalho remoto, agora passa a correr.  Algumas grandes empresas anunciaram que devem seguir com os home office pelo menos até o fim do ano, e a estimativa é de que cerca de 25% dos contratos de trabalhos serão 100% remotos após a pandemia.

Mesmo com o forte embasamento das projeções, ainda há no mercado quem não veja essa possibilidade como viável. A fonte desse pensamento está arraigada a valores do passado, que ligam produtividade à vigilância. É claro que é preciso entender bem do contexto, as adaptações que serão necessárias nas relações de trabalho e até na cibersegurança. Ainda assim, já existem ferramentas de gestão capazes de fornecer informações com mais precisão do que o olho humano.

Ao se tratar de metodologias, não é difícil encontrar o que possa ser adaptado ao home office. As metodologias ágeis, por exemplo, nasceram no início do século 21 para melhorar a eficiência em empresas de tecnologia. 

Scrum, kanban, lean, OKR: esses métodos de gerenciamento operam com times menores (squads) trabalhando em ciclos de entrega de curto prazo (sprints). Nos últimos anos, os métodos ágeis foram adotados de maneira crescente em vários outros segmentos das fábricas chinesas ao Vale do Silício. Já se fala que a cultura ágil será um poderoso atributo para deslanchar o home office.

Essa nova realidade já é sentida pelo comércio com o aumento da procura de pcs e notebooks no mundo. De acordo com a consultoria americana IDC, o salto de vendas no setor foi de 11,2% de abril a junho de 2020. Foram 72,26 milhões de unidades vendidas. Mais do que nunca, o caminho para o trabalho remoto está traçado e não deve demorar a ser percorrido por grande parte das empresas do mercado. 

Postado por Renato William, especialista em gestão de negócios e diretor da Sankhya- ES em 04/09/2020 em Artigos