Gestão Estratégica com suporte digital

Postado por em em Blog Estratégico
  • Tamanho da fonte: Maior Menor
  • Acessos: 6127
  • Increver-se para receber atualizações

Suporte Digital BSCO cenário do ambiente corporativo traz uma notícia “ruim” e uma “boa”:

A notícia “ruim”: Para atingir seus objetivos e se manter competitivas no mercado, as empresas precisam ajustar seus processos de negócios. 

A boa notícia: Existem soluções, derivadas da Tecnologia de Informação e Comunicação – TIC, para uma Gestão Empresarial que busca otimizar processos e resultados.

Para entender melhor a inteligência das principais ferramentas gostaria de responder aqui as perguntas mais freqüentes.

P 1: Qual é o papel da TIC?

R 1: O papel essencial da TIC é transformar Dados em Informação, Informação em Conhecimento e Conhecimento em Inteligência, Inteligência em Inovação, para decidir sobre o diferencial estratégico de competitividade empresarial. 

P 2: O que é Estratégia?

R 2: Estratégia é o posicionamento competitivo no mercado – diferenciado e(!) percebido; p.ex., Liderança em Inovação, Liderança em Custo, etc.

P 3: Existe uma ferramenta digital que ajuda a transformar estratégia em ação e resultado?

R 3: Sim. A solução se chama Balanced ScoreCard – BSC, um modelo de Gestão Empresarial, com base em uma plataforma digital, que estrutura logicamente a estratégia da empresa, nas dimensões (1) Finanças - saúde financeira da empresa, expressa em lucratividade; (2) Cliente - satisfação do cliente, expressa em lealdade; (3) Processo - racionalização dos processos, expressa em redução de custo operacional;(4) Aprendizagem – evolução dos colaboradores, expressa no fortalecimento de comportamentos e competências centrais.

P 4: Em que sentido o BSC facilita o desempenho do Gestor Empresarial?

R 4: O BSC permite ao gestor trabalhar alinhado com o objetivo e a estratégia corporativa, explicá-los ao seu time na busca da sua transformação em indicadores de desempenho, metas e ações através do Mapa Estratégico.

P 5: Quais são os fatores chaves de sucesso na implantação do BSC?

R 5: O convívio com um BSC requer um forte comprometimento da alta direção com o projeto de implantação. O importante é persistir; o ganho virá na medida em que a Gestão Empresarial fica mais transparente, revelando, assim, os gestores de ponta – uma vantagem competitiva valiosíssima para a empresa.

P 6: Se o BSC atua no nível estratégico, qual é a solução que atua no nível tático? 

R 6: A solução se chama Business Intelligence – BI (inteligência analítica de negócios), um sistema de suporte para Informações Gerenciais na Gestão Empresarial, desenhado para armazenar  e disponibilizar de forma simples, rápida e explícita informações (“massa crítica”),  na busca de uma tomada de decisão ágil e assertiva.

P 7: Como funciona o BI? 

R 7: Os dados operacionais são extraídos de um Banco de Dados para formar um Armazém de Dados (data warehouse). Ao transformar dados em informações gerenciais confiáveis, em um ambiente altamente colaborativo e com alta disponibilidade de informação, o conhecimento se torna um grande diferencial competitivo para as organizações. Ao definir “o que eu quero ver”, podem-se enxergar as partes de um cubo de Gestão Empresarial; p.ex., vendas por região, margem por produto, lucratividade por linha de produto, etc.

P 8: E no nível operacional, qual é a solução digital?

R 8: Aqui falamos do chamado Enterprise Resource Planning – ERP, que leva em conta que não são mais as empresas que definem o preço de seus produtos. O grande acesso do cliente a inúmeras ofertas coloca a Gestão Empresarial na obrigação de estipular valores.

O ERP tornou-se fundamental para reduzir custos, aumentar a eficiência na produção, manter o estoque no menor nível possível e evitar o desperdício, permitindo a fabricação de um produto de valor final mais baixo, e conseqüentemente, de maior competitividade.

P 9: Qual é a sacada do ERP?

R 9: O ERP apoia ações que se iniciam na idealização de um produto novo, passam pela fabricação até chegar na armazenagem (automação do fluxo de trabalho ou workflow), ao proporcionar automatização completa e total controle da configuração dos produtos.

O ERP ganha grande relevância na tramitação de um Pedido de Compra: cadastrado no módulo de vendas, o sistema dispara automaticamente a programação de produção no módulo de manufatura, ao mesmo tempo em que é gerada uma ordem de cobrança no módulo financeiro. Os resultados esperados são: maior eficiência, menores custos e, na ponta, um cliente satisfeito. 

P 10: Existe uma plataforma de apoio à Gestão Empresarial que cobre as necessidades de todos os níveis organizacionais da empresa?

R 10: Sim. É o chamado cockpit management. A solução permite à Gestão Empresarial estruturar o planejamento estratégico e monitorar sua execução, por meio de cockpits gerenciais personalizados, que apresentam interativamente o desempenho de áreas de gestão por meio de mecanismos de compartilhamento de informações analíticas e alertas automáticos sobre exceções. Uma “mão na roda” para os gestores, que levam em conta que não é possível “pilotar um avião observando apenas o medidor do combustível”. A solução garante monitorar a “saúde” da empresa como um todo.

P 11: O que significa a implantação de uma solução de Gestão Empresarial digital para a empresa?

R 11: É o processo e seu respectivo conjunto de atividades como a instalação de equipamentos e programas; treinamento dos usuários na utilização eficiente dos sistemas; cadastramentos de todos os dados operacionais necessários; parametrização e configuração ajustando os sistemas aos processos da empresa; monitoramento do aprendizado até o início efetivo e correto de utilização do sistema pelos usuários.

P 12: Quais as principais dificuldades ao implantar uma solução digital de Gestão Empresarial na empresa?

R 12: Ao se tratar da transferência de conhecimento, que envolve mudanças gerenciais e operacionais nos processos e nas ferramentas do dia a dia, uma nova postura frente à TIC precisa ser moldada, começando pela Alta Direção, que deve dar o suporte incondicional à sua decisão estratégica de apoiar a gestão com os recursos da TIC.

P 13: Como se pode avaliar, quais as áreas da empresa que são prioritárias na implantação de uma solução digital de Gestão Empresarial?

R 13: A resposta deriva de um diagnóstico da situação atual versus a situação desejada das áreas-chave; as áreas mais importantes e, ao mesmo tempo, mais defasadas são prioritárias.

P 14: Como se pode avaliar o tempo de implantação de uma solução digital na Gestão Empresarial?

R 14: Uma implantação pode durar poucas semanas ou até muitos meses. As variáveis principais de impacto sobre a duração são: o porte da empresa, a complexidade da solução, o número de usuários, a diversificação dos processos da empresa, o grau de envolvimento da gerência e o desempenho da gestão do projeto.

Resumindo, a Gestão Empresarial digital contempla, no nível estratégico, a plataforma Balanced ScoreCard- BSC; no nível tático, a plataforma Business Intelligence – BI e, no nível operacional, a plataforma Enterprise Resource Planning – ERP. 

A plataforma de apoio que cobre as necessidades dos três níveis organizacionais da empresa é denominada cockpit management. Uma Gestão Empresarial que traz a TIC com estes recursos como seu aliado facilita em muito a vida do gestor – por que não experimentar então?

 

*Werner Kugelmeier é sócio-diretor da WK Prisma Consultoria Empresarial e Treinamentos

 

Avalie esta postagem:
5

Werner Kugelmeier é sócio-diretor da WK Prisma Consultoria Empresarial e Treinamentos


Graduado em Administração de Empresas e Direito na Alemanha, fez cursos em práticas avançadas de gestão empresarial nos EUA.


Durante 25 anos de carreira atuou como executivo em diversas empresas multinacionais no Brasil, como executivo de negócios internacionais viajou para mais de 60 países, nos cinco continentes.


Desde 2000, atua na Área de Educação Corporativa e Executiva, atualmente como diretor proprietário à frente da WK PRISMA, uma empresa de treinamento empresarial, com foco em soluções para alavancar a gestão empresarial. 


Ministrou palestras e cursos em diversas empresas nacionais e multinacionais como BANCO DO BRASIL, B.I. INTERNATIONAL, DELPHI, EMBRAER, GOL, ITAÚ, KODAK, TOTVS, UNICAMP e VOTORANTIM.


- É autor do Livro de Administração de Empresas “PRISMA – girando a pirâmide corporativa”, um guia que facilita a carreira empresarial; é co-autor do Livro “Ser + com Criatividade e Inovação”.

Pessoas nesta conversa

  • Visitante - Isabela Prado

    Uma ferramenta excelente para o planejamento estratégico é o Geplanes. Ele possui a metodologia do BSC e utiliza o método PDCA. Recomendo para empresas de todos os portes e segmentos. Para quem ainda não o conhece, segue o site: www.geplanes.com.br.

Deixar seu comentário

Postar comentário

0 Restrição de Caracter
Seu texto deve ter mais de 10 caracteres
Seus componente estão sujeitos a moderação do administrador.

Cadastre seu e-mail * e receba nossa newsletter

iX Tecnologia e Educação Ltda. Todos os direitos reservados. Powered by por Oibê.